O físico teórico Stephen Hawking quebrou os recordes editoriais em 2 de julho de 1992. Seu livro “Uma Breve História do Tempo” esteve na lista de best-sellers de não ficção por três anos e meio, vendendo mais de 3 milhões de cópias em 22 idiomas.

 

“Uma Breve História do Tempo” explica as teorias mais recentes sobre a origem do universo em uma linguagem acessível para leigos. O livro foi transformado em um documentário aclamado em 1992, que foca principalmente na história do próprio cientista. Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica durante seus 20 anos, foi dito a Hawking que ele teria apenas mais dois anos de vida. Mas, apesar do grave prognóstico, ele deu seguimento aos seus estudos em física teórica, casou-se e teve um filho. Posteriormente, sua doença o deixou paraplégico, à exceção da mão esquerda. Hawking pôde continuar a falar, mas seu discurso era difícil de entender até ele se submeter a uma traqueotomia, em 1985, durante um ataque de pneumonia. Em seguida, Hawking começou a utilizar um sintetizador de voz controlado por um mouse, o que melhorou a clareza de seu discurso. Sua popular e sintetizada voz pode ser ouvida no documentário de “Uma Breve História do Tempo”, em uma música famosa do Pink Floyd e em um episódio dos Simpsons.

 

Ganhador da Medalha Presidencial da Liberdade e várias outras homenagens, Hawking escreveu muitos outros livros populares de ciência, incluindo “Buracos Negros, Universos Bebês e Outros Ensaios” (1993) e “O Grande Projeto” (2010), o qual ele coescreveu com o colega físico Leonard Mlodinow. Hawking é conhecido por suas contribuições científicas para a cosmologia e a gravidade quântica e está afiliado à Universidade de Cambridge e ao Instituto de Tecnologia da Califórnia, entre outras entidades.

Anúncios